XI – Narrativa Poética – BOCAGE

O mais popular poeta do seu tempo estava no leito da morte a despedir-se de uma vida curta, recheada de peripécias, de boémia, de desvios à moral vigente, de situações extremas em que chegara a passar pela mendicidade, no oriente, e pelos rigores da prisão. Fiel à liberdade do pensamento, incómodo a um reino onde prevaleciam a mesquinhez e a inveja, tinha como modelo outro poeta, cantor da Pátria, que, como ele, jamais se rendera à mediocridade dos seus contemporâneos. Com a irmã a seu Lado, assistindo-o na hora da partida, ela também poetisa, o poeta viu, nos olhos dela, a sua vida venturosa a passar diante de si como um filme. Neste vate de forte pendor neoclássico, que oscilou sempre entre o coração e a razão, é o primeiro que prevalece, e quando morreu, na presença da irmã e da sobrinha, dois anjos que jamais o abandonaram, tinha deixado abertas as portas para o Romantismo poder entrar.
Ed 1ª
09/17
Cp Dura
65 pgs
ISBN: 978-989-99889-1-0

9,00

cookie

Usamos cookies para proporcionar-lhe uma experiência melhor e mais personalizada.